ALEGRIA E RITMO NO DIA DAS MÃES

Compartilhe!

Também conhecida como zumba, a aula de ritmo movimentou a manhã de sábado na CIC.

 

Por Luna Clara Gomes
A comemoração dos dias das mães começou antecipadamente para muitas mulheres. Professoras de zumba uniram-se para conduzir diversos ritmos na manhã de sábado (11) no Centro de Iniciação ao Esporte CIC em homenagem a todas as mães. Aproximadamente 110 pessoas compareceram ao local e animaram o dia cinza e chuvoso. A aula iniciou por volta das 8h e finalizou às
10:30h com um café colaborativo entre todas as participantes. Chamadas de aulas temáticas, elas são realizadas sempre para dar atenção a um assunto específico.
Gisele Schlosser, professora que oferece aulas no local explicou ao Jornal da CIC que essa era uma data comemorativa, entretanto, temas como o feminicídio e novembro azul também são abordados com o propósito de dar importância a essas questões. O evento também chama atenção para o espaço, o qual foi inaugurado em novembro de 2018.
Diana Marcon é uma das alunas e já faz zumba desde o seu inicio no local. Mãe da Ágata e Jennifer, ela contou que foi se anulando quando soube do autismo de sua filha mais nova e que quando começou na zumba passou a se sentir mais viva. “Encontrar outras mães, encontrar outras pessoas, isso traz vida novamente”, disse. “A Zumba é uma atividade rítmica, na prefeitura ela é chamada de ritmos (…) e ela vem para trabalhar a mulher. Não é para saber dançar, é para gostar de dançar. É gostar de ser feliz”, explicou Gisele.
A Zumba vai além da dança: mesmo não sabendo a coreografia, a (o) participante irá embora mais feliz, irá fazer amizades e também exercitará o corpo. A professora também fala da
importância do autocuidado que a mulher precisa ter, principalmente após o 40 anos, pois “a gente perde muita massa, vem osteoporose, problemas de saúde” e que, além disso, com sobrecarga que a mulher tem ao trabalhar dentro e fora de casa, esse é o momento para extravasar. “É para gritar, se soltar, suar e ir embora dando risada”, concluiu Gisele.
Outra aluna que está sempre presente nas aulas é a Dona Nadir Maria Xavier (64), a qual já estava comemorando o dia das mães desde quinta-feira com o grupo de Zumba. Cheia de energia e muito carinhosa, ela também recebe apoio e incentivo de seus dois filhos e, inclusive, acordou cedo para ir do Tatuquara até a CIC e participar de mais uma comemoração. “Eu adoro. Eu
amo!” foi sua resposta sobre a prática.
Além das mulheres, os homens também entraram na dança.
 

Tropeiras Z

Esse é o nome dado a um grupo de mulheres que desde 2014 praticam a zumba no parque dos Tropeiros e que estava presente na comemoração. Edna Maura, professora que coordena o grupo contou que o movimento surgiu através da vontade de fazer a atividade nas férias do Clube da Gente, local onde também oferece aulas. “fizemos uma vaquinha, compramos uma caixinha
de som e começamos. Quando voltou das férias (no Clube da Gente) começamos a fazer em outros dias. E o grupo foi crescendo”, contou a professora. Tropeiras Z irá participar no Zumba Fest, que acontecerá no Círculo Militar e está sempre aberto para novas (os) integrantes.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + treze =