EXAMES DESCARTAM CORONAVÍRUS NOS DOIS CASOS SUSPEITOS EM CURITIBA

Compartilhe!

Os dois casos suspeitos de coronavírus registrados até o momento em Curitiba foram descartados. Ambos apresentam quadro gripal.

O primeiro caso foi descartado na terça-feira à noite.  A secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, disse, na manhã desta quarta-feira (29/1), que o outro caso suspeito de coronavírus em Curitiba não deve ser confirmado.

“O caso está descartado por motivos clínicos e epidemiológicos”, informou a secretária, em entrevista coletiva realizada ao lado do secretário estadual da saúde, Beto Preto.

Internada no Hospital de Clínicas, a jovem de 23 anos sob suspeita de contaminação apresenta sintomas leves e veio da China há 24 dias, dez dias além do período de incubação do vírus.

A informação da secretária ainda precisa ser confirmada por exames da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro.

O primeiro caso descartado é de um morador de Fortaleza (CE) que estava de passagem por Curitiba. O homem de 29 anos foi atendido no Hospital Santa Cruz nesta segunda-feira (27/1) – ele esteve em Hong Kong e Guangzhou, na China. Teve alta nesta quarta-feira.

Já a moça curitibana esteve nas regiões chinesas de Hong Kong, Xangai, Macau e Ghinzu. De volta ao Brasil, ela teve o primeiro atendimento na UPA Boqueirão nesta terça-feira (28/1). De lá, foi encaminhada para o Hospital de Clínicas, onde segue em observação.

“Não há motivo para alarme”, destacou o secretário estadual da Saúde, Beto Preto, durante a coletiva.

Barrar a doença

O atendimento e exames dos casos suspeitos fazem parte dos protocolos de saúde da Organização Mundial da Saúde e do Ministério da Saúde para impedir que a doença se alastre. Por isso, Curitiba adota medidas de segurança.

“Todo indivíduo que chega nos serviços de saúde com quadro gripal e relata que teve passagem pela China ou contato com alguém que esteve no país é considerado um caso suspeito”, observou Márcia Huçulak.

Ela explica que essa classificação (“suspeito”) é feita para que a precaução seja realizada de forma adequada. “É a precaução que evita o avanço da doença”, acrescentou a secretária.

O protocolo vale para quem esteve no país ou teve contato com quem esteve nos últimos 16 dias e apresenta sintomas.

O acompanhamento é feito de maneira permanente na rede municipal.

Município orienta a rede

Nesta quinta-feira (30/1), haverá duas atividades de capacitação de profissionais de saúde das redes pública e privada.

Segundo Márcia, serão encontros para esclarecer dúvidas e alinhar ações entre os profissionais dos equipamentos hospitalares.

A primeira reunião será realizada às 10 horas, no auditório do Hospital Municipal do Idoso, no Pinheirinho. A segunda, às 15 horas, no auditório do Mercado Municipal, no Centro.

 

 

 

Via SMCS

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez − 5 =