A importância de se sentir importante na família

Compartilhe!

Colaborou Giordano Cimadon, psicólogo e coordenador da Sociedade Gnóstica

 

O objetivo de todo pai é criar seus filhos para que sejam felizes. Existem hoje milhares de livros que oferecem conselhos sobre como criar filhos com sucesso. Os especialistas se esforçam para entregar aos pais as informações mais atuais sobre saúde, nutrição, desenvolvimento infantil e educação. Contudo, mais do que informações, táticas e estratégias, o que as crianças precisam é de tempo e atenção de seus pais. Muitas vezes os pais ficam tão ansiosos para criar uma criança bem-sucedida que ignoram a importância de passar tempo interagindo com seus filhos. Não é suficiente passar tempo dentro do carro levando a criança pra cima e pra baixo, da escola para o consultório, de lá para a quadra de esportes, e depois para a casa dos amiguinhos. Estou falando de uma interação verdadeira e significativa, em que pais e filhos realizam uma atividade em conjunto. Quando este tipo de convivência acontece, pais e filhos criam vínculos que vão durar para toda a vida.

“Estou falando de uma interação verdadeira e significativa, em que pais e filhos realizam uma atividade em conjunto. Quando este tipo de convivência acontece, criam vínculos que vão durar para toda a vida.”

A criança se sente importante e amada pelos pais. Ela tem a chance de expressar seus pensamentos e sentimentos, e com isso desenvolve uma autoconfiança que será muito importante para a sua vida adulta. Por outro lado os pais podem observar e conhecer os pontos fortes e fracos da criança para melhor orientá-los.

Diversos estudos científicos mostram que as relações familiares saudáveis reduzem a incidência de problemas emocionais e comportamentais em crianças, especialmente a partir dos três anos de idade. Ao mesmo tempo, são inúmeras as pesquisas que descrevem os desfechos negativos quando a criança ou o adolescente não recebem o amor, a atenção e a orientação adequados de seus pais.

 

No caso dos adolescentes, por exemplo, aqueles que acreditam que são importantes para seus pais e irmãos acabam se envolvendo menos em situações de violência. Para perceber a própria importância na família, o adolescente se pergunta: “Eles sabem que eu existo? Eles investem recursos em mim? Passam tempo comigo? Eles realmente me conhecem? Meus sentimentos, meus pensamentos, minhas vontades?” Sentir-se importante é uma motivação fundamental para todos os seres humanos, mas é especialmente importante para as crianças e os adolescentes.

Criar situações que permitam passar tempo de qualidade com seus filhos faz com que eles se sintam importantes na medida certa. Existem muitas atividades que promovem vínculos saudáveis e significativos em família, e elas não precisam ser caras ou de difícil acesso. A chave é dar atenção à criança, e acolher a atenção que ela nos dá. Vejamos algumas sugestões para começar.
Aproveite as refeições familiares. Ao invés de obrigar seus filhos a comer verduras, tente começar conversando com eles sobre a seleção dos alimentos e pratos que serão preparados. Chame-os para ajudar a preparar a comida e a mesa, dando a eles liberdade criativa dentro dos limites estabelecidos. Assim se torna mais fácil que todos comam juntos, e em seguida se responsabilizem pela limpeza da cozinha.

“Todos ganham quando convivem”

Durante a refeição, crianças e adolescentes podem ser encorajados a falar sobre o que é interessante para eles e não necessariamente sobre os tópicos usuais, como as tarefas de escola ou as preocupações do trabalho. Ah… e não se esqueça de desligar a televisão. Crie um tempo para a prática de esportes. Procure saber qual a atividade preferida de seus filhos e arrisque-se. Jogue com eles, vá à piscina para nadar, corra com eles pelo quintal. Tenha certeza que seu envolvimento vai transformar as atividades em algo positivo e gratificante. Caso seus filhos não sejam muito fãs da prática de esportes, tente os passatempos, como desenho ou artesanato, ou ainda jogos de tabuleiro e de cartas. Não importa quem ganha… Todos ganham quando convivem.
Crie o hábito de ler para seus filhos mais novos. Eles jamais esquecerão esta experiência. Se os seus filhos forem adolescentes, pergunte qual livro eles estão lendo e leia você mesmo. Não tenha medo. Os livros para adolescentes costumam refletir suas angustias, seus receios e suas incertezas, e através deles os pais podem entender melhor o complexo mundo interior em que eles vivem. Em ambos os casos, envolva seus filhos em discussões positivas sobre o livro. Além destas sugestões você pode encontrar muitas outras. O importante é nunca esquecer que o tempo que se passa em família pode ser uma maneira divertida, educativa e descontraída de criar filhos saudáveis e felizes que amam e se sentem amados. Desta maneira seus filhos saberão que importam para você, e isso se refletirá positivamente em todas as escolhas de suas vidas.

 

 

 

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 5 =