ENTIDADES FILANTRÓPICAS PODEM COMPRAR NOS ARMAZÉNS DA FAMÍLIA

Compartilhe!

Atualmente, 100 entidades filantrópicas de Curitiba estão credenciadas nos Armazéns da Família. Nos últimos dois anos, vários encontros de sensibilização foram realizados pela Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Smab) para explicar como as instituições podem se cadastrar no programa da Prefeitura. Entre as entidades já beneficiadas, há casas de dependentes químicos, casas-lares para crianças e adultos, abrigos de idosos, escolas especiais e centros de educação infantil (CEIs).

Na CIC, estão cadastradas nos Armazéns da Família a Associação Brasileira de Educação e Cultura (Abec), a Associação de Moradores Conjunto Atenas II, a Associação de Moradores do Conj. Osvaldo Cruz II, o Centro de Assistência Social Divina Misericórdia, o Centro Social Nossa Senhora da Luz dos Pinhais e o Centro de Orientação do Excepcional (Cocec).

“Promover o abastecimento de alimentos, visando à melhoria da segurança alimentar e nutricional da população, em especial das pessoas em risco social, é uma das principais missões do município”, afirma Luiz Gusi, secretário municipal de Agricultura e Abastecimento (Smab).  Ele reforça que desde o início da gestão do prefeito Rafael Greca a secretaria tem trabalhado junto a diversas entidades que busquem ter acesso aos Armazéns da Família. O secretário destaca ainda que os produtos adquiridos nos Armazéns da Família precisam, obrigatoriamente, ser consumidos nas instituições.

Há um ano, a despesa do Lar O Bom Caminho com arroz, feijão, óleo, farinha, trigo, macarrão e carnes caiu 30%. A instituição do bairro Capão Raso abriga 20 crianças em situação de risco e, desde 2018, passou ser credenciada nos Armazéns da Família da Prefeitura, que comercializa cerca de 300 gêneros alimentícios e itens de higiene e limpeza mais baratos. “Nossos recursos são escassos e os gastos, principalmente com alimentação, são altíssimos em nossa instituição. Poder comprar nos Armazéns da Família está permitindo reduzir nossas despesas mensais”, conta Nylcea Braga Maciel, presidente da instituição que atende crianças de 0 a 5 anos.

O acesso aos alimentos comercializados nos Armazéns da Família vem ajudando, inclusive, no trabalho de recuperação das crianças atendidas 24 horas por dia no Lar O Bom Caminho. “Muitas chegam desnutridas e uma alimentação rica em arroz e feijão, combinação que oferece uma proteína completa, é fundamental para o crescimento saudável delas”, justifica Eliane Faria Cembram, nutricionista da instituição infantil.

Para se cadastrar nos Armazéns da Família, as entidades devem procurar os núcleos da Smab nas Regionais dos seus bairros. Após o representante legal da instituição passar por uma entrevista, será agendada uma visita técnica do núcleo no local onde é realizado o trabalho junto à população em situação de vulnerabilidade. Também serão exigidos documentos que comprovem que a entidade é filantrópica. Além disso, todas as entidades precisam estar inscritas em um conselho municipal (Comtiba, CMAS ou CMDPI).

Programa

O programa Armazém da Família completa 30 anos em julho e é referência nacional e internacional no acesso à população a alimentos e gêneros de higiene e limpeza a custo acessível. Atualmente, 260 mil famílias da capital – com renda máxima de cinco salários mínimos – estão cadastradas no programa da Prefeitura.

São 33 unidades por vários bairros de Curitiba que oferecem gêneros alimentícios e de higiene e limpeza a preços, em média, 30% mais baratos que no varejo tradicional. O cadastro pode ser feito on-line ou por autoatendimento nos Núcleos da Smab nas Regionais.

Veja aqui os endereços dos 33 Armazéns da Família de Curitiba.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − dez =