APÓS RECEBER RIM DA MÃE, ATLETA VAI COMPETIR NOS JOGOS PARA TRANSPLANTADOS

Compartilhe!

As braçadas que Heloisa de Lima Riske, 14 anos, dá duas vezes por semana na piscina do Clube da Gente do Tatuquara a deixam cada dia mais saudável e simbolizam superação. Em 2014, Heloisa recebeu um rim transplantado da mãe, Suian Cristina de Lima, e um ano depois passou a fazer natação por orientação médica.

No dia 23 de novembro, Heloisa estará entre os atletas que vão disputar os I Jogos Brasileiros para Transplantados, competição inédita no país. Ela vai nadar nas provas de 50m livre, 100m livre, 50m costas e 50m peito. As provas de natação serão feitas na piscina do Centro de Esporte e Lazer Dirceu Graeser, na Praça Oswaldo Cruz.

Os Jogos Brasileiros para Transplantados são promovidos pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude (Smelj), com apoio da Associação Brasileira de Transplantados . As competições serão de 21 a 24 de novembro.

Rim de mãe para filha

Quando tinha 2 anos, Heloisa foi diagnosticada com síndrome nefrótica. A doença evoluiu para uma insuficiência renal crônica e ela perdeu os rins.

Vários exames depois e em tratamento constante, com a família buscando a melhor solução, Heloisa fez uma cirurgia de transplante de rim no Hospital Pequeno Príncipe. Ela tinha 8 anos na época.

O órgão foi doado pela mãe, Suian, maior fã da atleta que Heloisa se tornou. “Nunca achei que o transplante de rim iria dar errado, oração de mãe é muito forte. Agradecemos todo o cuidado da equipe do Hospital Pequeno Príncipe durante a cirurgia e agora no tratamento que Heloisa continua fazendo”, disse Suian.

A médica da menina orientou a natação como esporte, pois ela não pode sofrer impactos físicos. Antes de participar do programa Escola + Esporte = 10 (EE10), da Prefeitura de Curitiba, que oferece aulas gratuitas de natação, Heloisa fazia aulas em academias particulares.

“A gente trabalhava duro para pagar as aulas de natação para Heloisa e quando conseguimos a vaga aqui no Clube da Gente foi um alívio. Para ela é uma questão de saúde, não é luxo a natação. Estamos perto de casa, dá para vir a pé”, disse Suian.

Aulas de natação em academias particulares variam de R$ 180, uma vez por semana, a R$ 250, duas vezes por semana.

Desde que começou a nadar, há cinco anos, Heloisa não precisou mais ser internada. Desde o início deste ano ela faz aulas gratuitas pelo EE10 no Clube da Gente do Tatuquara. Nos campeonatos do EE10 que já participou, Heloisa conquistou medalhas de ouro e prata.

“Gosto muito da natação. É o exercício mais maravilhoso para eu fazer, me sinto livre. Sempre amei a água e desde o começo eu gostava de nadar e não tinha medo”, disse Heloisa.

 

Estrutura completa

A estrutura encontrada por Heloisa e a mãe Suian no Clube da Gente do Tatuquara não deixa em nada a desejar se comparando com as academias particulares por onde elas passaram.

O Clube da Gente do Tatuquara está com 330 alunos, entre crianças e adultos, fazendo aulas de natação. As vagas são rotativas. Para adultos, o tempo de aula é de um ano, é um curso de aprendizado de natação.

Crianças podem ficar até três anos fazendo aulas nos seguintes estágios: iniciação/aprendizado, intermediário e avançado, quando a criança passa a integrar a Seleção de Desempenho de Natação da Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude (Smelj). Heloisa está na fase intermediária.

Qualquer aluno, tanto criança quanto adulto, só pode ter uma falta não justificada por mês nas aulas de natação ou hidroginástica. Na segunda falta perde a vaga.

Encontrar pessoas iguais

Assim que viu que Curitiba iria receber a competição inédita dos Jogos Brasileiros para Transplantados, Suian Cristina de Lima resolveu escrever a filha Heloisa para competir.

“Fomos atrás de toda a documentação e liberação médica para ela competir. Queremos ajudar na divulgação da importância do transplante de órgãos”, disse Suian. “Nos Jogos quero que ela veja pessoas transplantadas com qualidade de vida”, completou a mãe.

Heloisa está animada com a competição. “Nos Jogos para Transplantados vai ser diferente. Vou encontrar pessoas como eu, que passaram as mesmas coisas que eu passei, com história parecida com a minha. Espero ir bem nos jogos e ganhar”, disse.

Time vencedor

A equipe de natação do EE10 do Clube da Gente do Tatuquara, neste ano, disputou três campeonatos. Ganhou dois e ficou em 3º lugar no outro.

O programa EE10 tem cerca de 200 crianças e adolescentes de 9 a 17 anos fazendo aulas gratuitas de natação no Clube da Gente do Tatuquara.

“A Heloisa é a única criança transplantada fazendo aulas de natação no Clube da Gente. No dia a dia ela é uma criança normal. A atividade física ajuda no tratamento e a mantém saudável. Previne doenças”, disse Luiz Gustavo Santos Torres, coordenador do Clube da Gente Tatuquara.

 

 

Via SMCS

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − 8 =