PANDEMIA EM NOVA FASE: CASOS GRAVES ACOMETEM POPULAÇÃO MAIS JOVEM

Compartilhe!

Uma nova fase da pandemia vem se desenhando nas últimas semanas. O internamento de pacientes jovens por covid-19 aumentou. Os casos da doença neste grupo, que tem uma base populacional maior, são responsáveis pela sobrecarga no sistema de saúde atualmente.

Durante todo o ano da pandemia, as pessoas entre 20 e 59 anos representam mais da metade dos casos confirmados de covid-19. De acordo com o diretor do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, Alcides Oliveira, esta nova fase da pandemia está associada à nova variante P1, que tem acometido mais os jovens e os adultos.

“É quase como uma nova doença. Os jovens adultos, que antes eram contaminados e passavam ilesos, agora estão tendo casos graves e com evolução rápida”, explica.

Internamentos

Na última semana de julho de 2020, pico da pandemia no ano passado, esse recorte etário (20 a 59 anos) representava 40% dos internamentos (clínicos e de UTI). Já na última semana de fevereiro representou 50%.

Embora essa variação não pareça ser tão expressiva, em números absolutos fica evidente o impacto sobre a oferta de leitos. A diferença é de 265 internamentos (julho de 2020) para 444 (fevereiro de 2021) nesta faixa etária – um aumento de 67,5%.

A comparação entre a última semana de janeiro de 2021 e a última semana de fevereiro de 2021 revela uma mudança ainda maior. Na última semana de janeiro, havia 63 pessoas de 30 a 44 anos internadas, enquanto na última semana de fevereiro este número chegou a 172 internados – um número quase três vezes maior. Na faixa etária de 45 a 59 anos, o aumento foi de 155 em janeiro de 2021 para 327 em fevereiro de 2021, ou seja, mais que dobrou.

Números crescem

Essa lógica se intensificou nas duas últimas semanas. Considerando apenas a faixa etária 30 a 44 anos, houve um aumento de 15% nos internamento dos leitos clínicos por covid-19, passando de 139 para 161. E nos leitos de UTI, nesta faixa etária, o aumento foi de 67%, passando de 43 para 72, no mesmo período.

A faixa etária de 45-59 anos segue a mesma lógica. Nas últimas duas semanas, houve aumento de 15% nos internamentos de enfermaria, passando de 201 para 231. Nos internamentos de UTI, o aumento foi de 39%, passando de 79 para 110.

Dos óbitos por covid-19 nestas faixas etárias (30-59 anos) desde o início da pandemia, 12% ocorreram nas últimas duas semanas.

Segundo a secretária municipal da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, mais do que nunca é importante que os jovens se conscientizem sobre a importância do isolamento social.

“Estamos num momento muito crítico da pandemia. Não é hora de festa ou de reunião familiar. Estamos no nosso limite”, diz. “Temos leitos e respiradores, mas não temos mais equipes de saúde”, explica.

 

 

Via SMCS

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis − cinco =