PROJETO TRATANDO VIDAS REALIZA MUTIRÃO NA COMUNIDADE 29 DE MARÇO

Compartilhe!

Por Larissa Santin

Você já deve conhecer o Diego Saldanha, o paranaense que inventou uma barreira flutuante para coletar lixos dos rios, as ecobarreiras. Ao todo, com sua invenção e boa vontade, é estimado que Diego já tenha retirado mais de duas toneladas de lixo do rio Belém.

Diego esteve esse fim de semana na 29 de março como voluntário, em um mutirão de fossa séptica organizado pelo Projeto Tratando Vidas. Sabendo que as famílias que ali vivem não tem acesso à rede de esgoto, o grupo decidiu agir e instalar fossas sépticas para a comunidade. Tudo foi custeado por meio de doações e campanhas de arrecadação. E o grupo já vem há alguns meses realizando essas instalações na comunidade.

Acompanhe  e siga o projeto: https://www.facebook.com/projetotratandovidas

O processo consiste primeiramente em cavar um grande buraco, onde serão instalados os três tambores, unidos por canos. Assim que o morador fizer a ligação do banheiro da casa para a fossa séptica, o primeiro tambor começa a ser enchido e, com o tempo, passará o volume para o próximo, até chegar no último tambor, este que conta com pedras para filtragem e tem um buraco no fundo, por onde o líquido é escoado de volta para o solo, mas sem prejudicar o meio ambiente. Veja a explicação:

 

Antes da ação do Projeto Tratando Vidas, a comunidade fazia uso de fossas sem tratamentos, buracos a céu aberto. O projeto tem como objetivo minimizar os impactos ambientais e trazer mais qualidade de vida para as famílias da região.

 

 

 

 

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + dezoito =